Alunos e educadoras comemoram exibição de curta na Fundação Oswaldo Cruz

image_pdfimage_print

Projeto da E.M. Profª Márcia Francesconi foi selecionado para participar do “I Seminário Audiovisual e Educação” e da “8ª Mostra Audiovisual Estudantil Joaquim Venâncio”.

 

Alunos e educadoras da E.M. Profª Márcia Francesconi exibiram o curta metragem “Dia de Prova, Dia de Cola?” na Fundação Oswaldo Cruz, no Rio de Janeiro. O evento, realizado nos dias 07 e 08 de agosto, teve o objetivo de apresentar e debater a implementação de projetos audiovisuais na Educação Básica do país. No encontro, a escola apresentou as ações do projeto “Cinema: experimentar, conhecer, realizar”, desenvolvido com alunos do 6º ao 9º anos desde 2013.

Os dois dias de programação do evento integraram debates e oficinas do “I Seminário Audiovisual e Educação” e da “8ª Mostra Audiovisual Estudantil Joaquim Venâncio”. O principal objetivo, segundo a organização do encontro, foi proporcionar relevantes trocas de experiências pedagógicas entre alunos, docentes e toda comunidade escolar envolvida no cenário do Ensino Público.

De acordo com as professoras Marilete Boy Oliveira e Tânia Cristina Medeiros, responsáveis pelo projeto apresentado, participar do Seminário foi uma grande oportunidade. Para Tânia, poder compartilhar experiências vivenciadas ao longo dos cinco anos de execução do trabalho garante um “enriquecimento a tudo que é desenvolvido”.

Já durante a Mostra Audiovisual, os 13 alunos da unidade de ensino que produziram e encenaram o curta puderam exibi-lo para os participantes do evento. Após a exibição, um debate sobre as etapas de produção foi realizado para que eles pudessem dividir suas experiências com os jovens que lotaram o auditório do Museu da Vida, na Fundação Oswaldo Cruz.

Para Gabriel de Leles, aluno do oitavo ano, poder exibir e assistir ao trabalho dos alunos de diferentes escolas é inspirador para novos projetos, além de demonstrar o valor do trabalho em equipe. Kauã Sabino, também do oitavo ano, conta que todo o processo desde a produção do curta na escola até a exibição nessa mostra estudantil, se transformou em uma experiência inesquecível. “É muito bom saber que nosso filme foi selecionado para estar aqui, que nosso trabalho valeu à pena; fizemos tudo com muito carinho, muita atenção. Isso não vai ser apenas um trabalho de escola para mim, é uma emoção que eu vou guardar para a vida. Nós aprendemos muito com apenas um filme, e quando é feito pela gente a experiência fica muito melhor”.