Palestra convida à reflexão sobre racismo

image_pdfimage_print

Uma dinâmica de autorreflexão, com perguntas sobre acesso à segurança, saúde, educação, cultura e fatos do cotidiano. Com esta proposta, a coordenadora de História e Cultura Afro e Indígena da Secretaria Municipal de Educação, Marcia Fonseca, conduziu o “Jogo do Privilégio”, abrindo a palestra sobre os 130 anos da Abolição e seus desdobramentos na sociedade. Apresentando dados que atestam situações de violência e racismo no Brasil, Márcia fez um convite ao enfrentamento e combate dessa realidade, especialmente no ambiente escolar. A reflexão fez parte da reunião geral do Departamento de Supervisão Escolar da Rede Municipal, realizada no último dia seis.

A supervisora escolar Marta Mendes, na Rede Municipal há 12 anos, aprovou a pauta. Ela conta que já trabalha a temática e que a escola é o ambiente ideal para a quebra de paradigmas. “O desconhecimento gera preconceito. É necessário falar sobre essa questão, pois muitas vezes as críticas surgem daquilo que não conhecemos”, destaca. Mulher e negra, a supervisora considera que muitos avanços já podem ser observados. Para Marta, em todas as relações sociais, o princípio que deve prevalecer é do respeito.

Raphaela Macedo, diretora do Departamento de Supervisão Escolar, explica que os temas escolhidos sempre levam em consideração a formação da equipe técnica para perpetuar a prática de uma educação mais reflexiva nas unidades escolares, atendendo as necessidades de orientação.

Durante o encontro, os supervisores também receberam informações sobre os três programas do Governo Federal que estão sendo implementados na Rede Municipal: Novo Mais Educação, Mais Alfabetização e Educação Conectada. A Rede Municipal possui 98 supervisores escolares em campo, que atendem as 87 unidades escolares.